domingo, 25 de junho de 2017

8 anos sem Michael Jackson





Nem parece que há 8 anos você estava partindo. A cada ano que passa, ainda é como se tudo tivesse acontecido ontem.


Sim, ainda me lembro com exatidão o momento que soube que você tinha partido, o sentimento que me tomou. Sinto essa agonia incapacitante ainda hoje, quando penso que eu poderia ter aproveitado ainda mais do muito que você tinha a oferecer. Não apenas artisticamente, não apenas com seu carisma, mas sua humanidade,  sua caridade...

Falar de 25 de Junho é falar de saudade, mas principalmente de gratidão. Sempre serei repetitiva nesse aspecto, porque nunca, jamais, poderei me remeter a você sem abrir um largo sorriso e balbuciar um obrigada.

Sou grata pela companhia que suas músicas sempre me fizeram, pelos sorrisos e lágrimas que me arrancou, pelo encantamento no qual sempre me embebedou, pelos amigos que ganhei ao longo dos anos, por ter sido meu guia nessa arte que tanto amo, que é a escrita, e principalmente pela humanidade que você ajudou a plantar em meu coração.

Se hoje a dor alheia me instiga a ajudar, se ver uma criança sofrer me faz sofrer, se ver um idoso necessitando de uma ajuda me instiga a ajudar sempre, isso devo a semente de caridade que você ajudou a plantar em mim. E por essa, entre muitas outras coisas, o considero um anjo que veio iluminar minha existência. 

Esse é o tipo de maravilha que você fez na minha vida.

Brilha estrela. Uma pena que hoje brilhe ao longe, mas não à uma distância suficiente para apagar seu brilho.

Eu, e muitos outros fãs, estaremos sempre aqui para enaltecer seu nome quando ele for mencionado. Você nunca será esquecido.

O amor vive para sempre. Te amo, Michael!

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Michael Jackson: Searching for Neverland [LEGENDADO]



Agora você pode ter o filme ‘Searching for Neverland’ legendado, mais um trabalho realizado por Daniel Neves do canal MJFanForum.

Produzido para TV, o longa retrata os últimos dias de Michael Jackson, que é interpretado pelo cover Navi. A base da narrativa é o livro “Remember the Time: Protecting Michael Jackson in His Final Days”, escrito por dois seguranças pessoais que acabaram se tornando confidentes de Michael.



Fonte: MJ Beats

Em breve Thriller 3D com documentário especial.



O diretor John Landis que filmou ‘Thriller’ em 1982 com ‘The King Of Pop’, supervisionará o projeto de acordo com fontes da industria.

Ao longo de três anos, Landis reabriu secretamente o icônico vídeo musical de 14 minutos, que foi uma inovação na história da música.

Fontes dizem que os herdeiros de Michael, estiveram envolvidos no projeto, mas detalhes estão sendo mantidos em segredo.

“Thriller está saindo novamente em forma de filme neste verão e será algo muito especial”, nos dizem. “John tirou a filmagem original, limpou-a e tornou algo muito único”.

“A visão de Michael antes de sua morte era trazer ‘Thriller’ para cinemas e usar a tecnologia IMAX e 3D para fazer os fãs sentirem que estão no vídeo com ele”, disseram-nos. “Existe um plano de marketing para lançar a nova versão com uma enorme campanha de RP com Prince e Paris envolvidos”.

Prince, um entusiasta cinematográfico, expressou interesse particular nesse projeto.

“Como parte do relançamento, um novo documentário que explorará a incrível história por trás da criação do filme será lançado”

O lançamento do filme marca o 35° aniversário do lançamento do álbum THRILLER.

Pouco depois de Jackson ter falecido, o vídeo ‘Thriller’ foi introduzido no ‘National Film Registry’ pela ‘Library Of Congress’, nenhum outro vídeo musical recebeu essa honra.


Fonte: Daily News/ MJ Beats

Nova escultura de Michael Jackson é criada para o Museu em Orlando



Artista Cristiam Ramos foi contratado para criar uma escultura de Michael Jackson para o museu da Ripleys Entertainment em Orlando.

A escultura é uma homenagem ao Rei do Pop que contempla mais de 40 rostos de artistas que marcaram a música ao longo dos anos. Feita com argila, pintura a óleo e tinta acrílica, demorou 4 meses para ser concluída.

 


Fonte: MJ Beats

Norman Seeff pode revelar imagens inéditas de Michael Jackson



Em entrevista ao programa ‘‘60 minutes’’ o fotógrafo Norman Seeff revelou que filmou todas as suas sessões de fotos com pessoas criativas, o que inclui trabalhos com Michael Jackson, em 1976 ainda com os irmãos Jacksons e em 1982 em uma sessão especial com Diana Ross.

Enquanto os fãs do Rei do Pop ficam animados com a notícia, essas imagens pode não ser uma possibilidade imediata. Durante a entrevista (30 de abril), Norman alegou que precisaria de 500.000 dólares para recuperar com sucesso todos os filmes que ele fez fotografando algumas dos maiores ícones como Ray Charles, Steve Jobs e John Travolta.

“Diana pediu essa sessão e o que realmente me impressionou foi a relação entre Diana e Michael. Eu tinha trabalhado com Michael antes e achei que ele era muito tímido e quieto. Porém fotografando com Diana, ele estava claramente mais confortável e aberto com ela lá. Foi adorável ver o que aconteceu entre eles”.

Sobre fotografar o Jackson 5 em 1976, Norman Seeff disse sobre Michael Jackson:

“Michael era tímido, tímido, tímido, tímido. Todos estavam articulados, mas Michael quase não disse uma palavra. Percebi que, de maneira gentil, eu precisava envolvê-lo. Eu acho que apenas um pequeno momento onde ele abriu-se. Eles acabaram cantando e se apresentando para uma multidão de crianças andando pelo estúdio”

Não seria difícil acreditar que as fotos de Seeff pudessem acabar no futuro em um filme sobre o icônico Michael Jackson.

O próximo membro da família Jackson que provavelmente aparecerá no filme será a filha de Michael. Paris Jackson crescendo em papéis de filmes. No entanto, ao contrário de seu pai, Paris não está evitando entrevistas e é muito amigável com a câmera.

Todos os filmes que a Norman Seeff desenvolveu até agora são arquivados em seu site pessoal.


Fonte: MJ Beats

Várias marcas apostam em Michael Jackson estampando a coleção verão 2017



A Supreme lançou recentemente a coleção que apresenta uma imagem do Rei do Pop de seu icônico vídeo “Billie Jean”. Prestando homenagem a Michael Jackson, a marca estará lançando uma coleção de cápsula que ostenta o retrato em hoodies, tees, short-sleeve work shirts e skate decks.



Os hoodies estarão disponíveis em preto, branco, azul marinho, vermelho e verde, enquanto as camisetas virão em sete cores (preto, branco, vermelho, verde, amarelo, rosa e azul bebê) e as work shirts em preto, branco e verde. Haverá também skate decks em opções preto e branco na coleção.
A coleção completa da Supreme com Michael Jackson foi lançada em 25 de maio, online e em lojas em Nova York, Los Angeles, Londres e Paris e já está esgotada!




No segundo semestre desse ano, várias marcas apostam em Michael Jackson para coleção de verão. Vejam os modelos e os respectivos sites para compra.











Fonte: MJ Beats




Longa egípcio traz líder islâmico que acha que é Michael Jackson.





Enquanto as telas de Cannes exibem um cinema em geral mais artístico, nos bastidores são negociadas produções das mais variadas vertentes. No salão dos agentes de venda (que fazem a ponte entre produtores e distribuidores), vê-se todo tipo de filme, mas entre melodramas latinos de qualidade discutível e obscuros musicais de Bollywood (a Hollywood da Índia), uma produção egípcia chama a atenção pela trama curiosa: mostra um líder islâmico obcecado pela figura de Michael Jackson. O filme se chama “Sheikh Jackson” e conta a história de um religioso muçulmano que, desde pequeno, sempre foi fascinado pelo rei do pop.

Na adolescência, nos instantes em que não se dedicava ao Alcorão, imitava o gestual do seu ídolo e até exibia para os amigos uma invejável técnica ao dançar o moonwalking, a famosa caminhada para trás celebrizada por Jackson. O longa se passa logo depois da morte do cantor, quando o fã, já adulto e devoto à prática religiosa, vive uma intensa crise de identidade, confundindo-se com o astro. O que comprometerá, inclusive, seu envolvimento com a fé islâmica.

“O que um religioso tem a ver com o Rei do Pop?”, questiona um texto no folder de divulgação do filme, que mais adiante indaga: “[O personagem] É um xeique, Jackson ou ambos?”. Não há muito mais informações que isso sobre a trama, mas quem se interessar pode conferir alguns trechos do filme no trailer do longa.

Mesmo o diretor do filme, o egípcio Amr Salama, não adianta muito sobre a intriga. “A história é muito pessoal, ainda que extremamente universal, relacionada a todos do globo. É sobre fé, crise de identidade e autodescoberta”, diz em entrevista ao UOL, por e-mail. “É mais ou menos baseado em uma experiência minha. Já fui o maior dos fãs de Michael e, em certo ponto da minha vida, estava adotando o mesmo tipo de crença religiosa do personagem, mas o abandone”, diz o diretor.

Mas pelo folder ou pelo trailer, não dá para saber direito que tipo de filme “Sheik Jackson” é: drama intimista? Tragédia lacrimogênea? Ou comédia abertamente tosca? Salama tenta elucidar: “Pode ser considerado um drama pessoal em tom leve, com algum toque de comédia irônica. Não é um drama típico, mas também é difícil descrever como comédia simplesmente”, adianta o cineasta.

Salama é um jovem diretor que tem uma carreira já sólida no Egito, com principalmente comédias no currículo e participação em alguns festivais menos expressivos. Seu cinema (ao menos de acordo com os agentes de venda do longa) é “autoral, ao mesmo tempo em que dialoga com o grande público”, conforme explicou à reportagem um dos agentes do grupo alemão Media Luna, que negocia o filme no mercado em Cannes.

O protagonista de “Sheikh Jackson” é vivido, na juventude, por Ahmed Malek, tido como uma das promessas da nova geração de atores no país. E na fase adulta é interpretado por Ahmad Al Fishawy, bastante conhecido no Egito, filho de astros também famosos da dramaturgia local. Especialista em comédias, Al Fishawy teve problemas na carreira, após escândalos na vida amorosa e se envolver com drogas. Com “Sheikh Jackson” poderá, talvez, até ter fama internacional.

A produção é assinada por Mohamed Hefzy, o mesmo do filme “Clash”, em cartaz no Brasil e bastante elogiado pela crítica. Por enquanto, o longa não foi adquirido por nenhum distribuidor no Brasil. Mas como ainda não foi finalizado — ainda está em fase de pós-produção– ainda dá tempo de despertar a atenção de algum grupo brasileiro. “Espero que o filme estreie em algum bom festival antes, de modo que ganhe atenção. Depois, vamos lançar localmente [no Egito] e tentar em seguida, o mercado internacional”, diz o cineasta.





Fonte: UOL/ MJ Beats