sábado, 30 de dezembro de 2017

Michael Jackson e os números pós-2009


Mesmo em um momento de queda nas vendas a música de Michael Jackson geraram mais de um milhão de downloads por ano nos últimos três anos, enquanto o catálogo de álbuns ainda se desloca em mais de 500 mil unidades por ano. Estima-se que desde 2009 foram comercializadas mundialmente cerca de 32 milhões de cópias de seus álbuns.

Passando para a plataforma em streaming, até agora, as músicas do Rei do Pop em 2017 foram tocadas 1,05 bilhão de vezes, dos quais 443 milhões foram transmissões de áudio e 608 milhões foram transmissões de vídeo. Desde que a Nielsen Music começou a transmitir streaming, a sua música gerou 3,1 bilhões de streams, 1,2 bilhões em áudio e 1,9 milhões em vídeo.

Fonte: MJ Beats
Colaboradores: Diana Baron (Com informações adicionais de Jennifer Ruby; UK Official Charts)

Juiz cancela processo de assédio sexual contra Michael Jackson


Em 2013, o coreógrafo Wade Robson alegou que foi molestado sexualmente por Michael Jackson e nesta terça-feira (19) o juiz responsável pelo caso desconsiderou as acusações feitas pelo dançarino.

Michael e as suas empresas eram réus no processo. O juiz Mitchell L. Beckloff afirmou que as companhias não tem relação com os envolvidos no caso.

Robson, que já trabalhou com Britney Spears e a boy band NSYNC, conheceu Michael Jackson quando tinha 5 anos. Ele foi testemunha de defesa de Michael em 2005 e afirmou ter dormido diversas no Rancho Neverland, residência de Jackson, mas que nunca foi molestado.

… Após a morte de Michael, ele entrou com o processo e alegou que foi abusado por sete anos.

O advogado do Espólio de Michael Jackson, Howard Weitzman, disse em um comunicado que o tribunal tomou a decisão correta ao desconsiderar o pedido de Wade Robson contra o cantor. “Na minha opinião, as alegações de Robson fizeram mais 20 anos depois de supostamente terem ocorrido e foram feitas depois de Robson ter testemunhado duas vezes sob juramento — inclusive na frente de um júri — que Michael Jackson nunca tinha feito nada de errado com ele. Isso sempre foi sobre dinheiro ao invés de procurar a verdade”, afirmou.

Fonte: MJ Beats

Sony e Espólio renovam parceria em meio a um processo


“A partir de 1º de janeiro de 2018, a Sony Music ampliará o prazo de administração do catálogo de Michael em um acordo de gravação de longo prazo. A Sony também terá a oportunidade de se associar a projetos adicionais que o Espólio produzirá durante o prazo do acordo”.

O comunicado para a imprensa em 14 de dezembro de 2017 passou a detalhar a série de projetos que a Sony e o Espólio de Michael Jackson concluíram ao longo de seu contrato de sete anos — assinaram em março de 2010 e, segundo notícias, com o valor de US $ 250 milhões — incluindo dois documentários de Spike Lee, o álbum XSCAPE de 2014 e o “holograma virtual de Michael Jackson” (que na verdade era apenas uma projeção visual de um imitador do MJ) no Billboard Music Awards.

No entanto, uma omissão no comunicado auto-glorificante para a imprensa foi a primeira coleção póstuma de músicas inéditas do Rei do Pop — o álbum de MICHAEL — lançado nos EUA há sete anos, continua a ser assombrada por alegações de fraudes.

O que deveria ter sido um sucesso triunfante tornou-se uma catástrofe no final de 2010, quando a família, colaboradores e fãs de Michael Jackson disseram que três das músicas do álbum soavam como falsas. Depois de anos de reivindicações, os advogados da Sony e do Espólio surpreendentemente admitiram que as músicas poderiam realmente ser falsas— cantadas por um impostor.

Durante vários anos, uma batalha entre Davi e Golias tem se desenrolado no Tribunal Superior de Los Angeles, onde um único fã de Michael Jackson extremamente determinado está jogando contra os poderosos da indústria do entretenimento. No entanto, a maioria das pessoas não tem ideia de que o caso está acontecendo — a mídia ignora completamente isso.

Vera Serova, contesta em seu processo de ação coletiva que milhões de fãs foram fraudados desde que o Espólio de Michael Jackson e Sony Music Entertainment lançaram o álbum de MICHAEL, incluindo três músicas — “Breaking News”, “Keep Your Head Up” e “Monster’’- com vocais cantados por uma pessoa com mesmo timbre de voz de Jackson.

Enquanto hoje a mídia quase esqueceu o problema, na época gerou uma grande repercussão. Em dezembro de 2010, co-réu no processo de Serova, Eddie Cascio, apareceu no programa de Oprah Winfrey para discutir a autenticidade das músicas. Quando a apresentadora perguntou a Cascio ele disse: “Posso dizer que é a voz do Michael.” Durante a entrevista nenhuma pergunta foi questionada sobre a veracidade das canções, Cascio apenas acrescentou que Michael Jackson gravou as três músicas — junto com outras nove que permanecem inéditas — em seu porão de Nova Jersey em 2007. O processo de Serova diz que Jackson não fez isso.

Foi a família Jackson que soou o alarme sobre a suposta voz. Eles, juntamente com milhares de fãs, pediram que a Sony não liberasse as faixas de Cascio, mas foram descartadas pelo rótulo e pela mídia sobre teorias da conspiração. A Sony lançou uma breve declaração na época dizendo que a empresa tinha “confiança total” de que os vocais eram legítimos.

Advogado do Espólio, Howard Weitzman, também respondeu à reação ao emitir uma declaração. É listado os ex-engenheiros de Michael Jackson que haviam participado das sessões de audição, tocaram faixas vocais A Capella (sem a música) e confirmaram que a voz era “definitivamente” de Michael Jackson.

Mesmo o co-executores do Espólio, John Branca e John McClain, não concordaram com o assunto, McClain, junto com a comunidade de fãs se posicionou contra as músicas. “Meu amigo John McClain (co-executor) e eu insistimos por muitas semanas que eles removessem faixas do novo álbum de Michael”, disse Jackie, o irmão de Michael Jackson, na época. “Infelizmente, nossas preocupações não foram levadas a sério”. Apesar de tudo isso, a mídia parecia satisfeita com as declarações da Sony e Weitzman, e a controvérsia apenas foi relatada desde então.

Mas agora, sete anos depois (e contando), a Sony e o Espólio estão finalmente sendo forçados a encarar a realidade. Em um tribunal público em 7 de dezembro de 2016, os advogados do Espólio reconheceram que as músicas podem realmente ser falsas.

Ao longo dos anos, a gravadora Sony Music tentaram varrer a controvérsia sob o tapete, mas a evidência contra as faixas de Cascio continuou a subir.

Nem James Porte nem Eddie Cascio fornecem provas convincentes da contribuição de Michael Jackson para as músicas — nem mesmo uma menção delas nas inúmeras notas manuscritas. Michael Jackson era conhecido por rabiscar idéias e letras de músicas em pedaços de papel. Quando ele morreu, uma lista manuscrita de aproximadamente 30 músicas em que estava trabalhando foi encontrada na parede do quarto. A lista não apresentava uma única faixa do Cascio.

Os colaboradores de longa data de Michael Jackson apontaram que os vocais nas faixas de Cascio não possuem assinatura MJ, isso incluem estalos de dedos e até mesmo batidas de pé no chão. Questionado para fornecer tomadas dos vocais, Porte e Cascio alegaram que tinham excluído todos. Também foram questionados o vibrato da voz — nenhum dos quais correspondia a Jackson. O processo de Vera Serova cita essas inconsistências, que são apoiadas por um relatório de 41 páginas do audiologista forense Dr. George Papcun, PhD, que concluiu que as músicas não foram cantadas por Michael Jackson.

Até hoje, os fãs de todo o mundo se mobilizam para excluir as faixas falsas de Michael Jackson. No mês passado, no sétimo aniversário da estréia “Breaking News”, dezenas de fãs enviaram um e-mail a Howard Weitzman, John Branca e ao CEO da Sony Music, Rob Stringer, pedindo para que removessem as faixas de Cascio da discografia de Jackson. “A presença contínua das três faixas do Cascio no catálogo oficial do MJ é uma contínua ferida que simplesmente não vai curar”, escreveu um fã. “Por favor, afaste a frieza corporativa e vamos fazer o bem por Michael como ele merece”, pediu outro.

No jornal, a imprensa anuncia a renovação do contrato de gravação, Branca (e McClain) louvaram Stringer e Sony, dizendo que o Espólio ‘não poderia pedir parceiros mais criativos e inovadores’ do que eles, acrescentando: “Michael continua a inspirar gerações de artistas e atrair novos fãs e sua música e mensagem são mais importantes do que nunca. Estamos ansiosos para continuar a preservar e desenvolver o seu notável legado musical com a Sony’’.

Enquanto “Breaking News”, “Keep Your Head Up” e “Monster” — permanecem disponível para compra, Cascio e Porte não estão dispostos a falar sobre os vocais em suas músicas mas afirmam que Jackson é quem canta.

Em uma publicação estranha no início deste ano, o irmão de Eddie, Frank Cascio, tentou descaradamente ganhar dinheiro com o que a casa de leilões Gotta Have Rock & Roll que listou como “cópia pessoal de Michael Jackson do seu álbum final” — um CD caseiro escrito com a palavra “Bíblia’’.

A casa de leilões descreveu o CD como “a cópia pessoal de Michael Jackson de seu álbum final consistindo de 12 faixas finalizadas, todas com vocais finalizados”, acrescentando que a música no disco era de “qualidade master” — a mídia por sua vez antecipava lances de até US $ 1 milhão.

Curiosamente, as faixas do CD coincidem exatamente com as versões das músicas produzidas pelo ex-engenheiro de Michael Jackson, Stuart Brawley. Eddie Cascio e James Porte trouxeram Brawley para ajudar a preparar as 12 músicas para vender para a Sony eo Espólio.

O lote foi retirado do leilão dias depois —após ganhar manchetes em vários meios de comunicação, incluindo Rolling Stone e Billboard. Em um e-mail enviado a mim um representante da casa de leilões explicou: “Nos pediram para retirá-lo do leilão. O dono teve dúvidas e agora prefere vendê-lo em particular.’’ Eu acho que Frank ficou muito surpreso com a grande quantidade de atenção da mídia e ele sentiu que uma venda privada era a maneira mais respeitosa, já que era o último álbum de [Jackson]. “O representante adicionou que a decisão de Cascio de remover o CD do leilão foi motivada por seu desejo de “manter a integridade do legado de Michael Jackson”,

Além da noção de “respeito” e “integridade”, a venda do álbum teria sido legalmente imprópria considerando que o processo de fraude está em curso. Os irmãos Cascio têm o dever de preservar o CD e, se vendidos poderiam ser considerados como destruição de provas.

Nos últimos sete anos, tenho investigado as origens e autenticidade das faixas de Eddie Cascio. As descobertas da minha investigação serão detalhadas em um livro que estou escrevendo sobre o assunto. Com a admissão da Sony e do Espólio que as músicas podem realmente ser falsas, a batalha do tribunal promete ser muito interessante para dizer o mínimo. Como alguém que seguiu esta história desde o primeiro dia, só posso esperar que sua resolução seja respeitosa ao legado de Michael Jackson.

Fonte: MJ Beats

Notícias falsas sobre Michael Jackson foram criadas para encobrir histórias de estupro de Harvey Weinstein



Mais de 200 entrevistas, registos internos de empresas e emails até aqui privados foram o material que permitiu ao New York Times fazer uma investigação de fundo à forma como Harvey Wenstein, o produtor de cinema caído em desgraça, tudo fez para esconder as acusações de abuso sexual que agora pendem sobre si.

A informação recolhida pelo jornal engloba relatos das relações do produtor com os seus subordinados (que o ajudavam levando até si atrizes, para quartos de hotel), com o poder político (de que Weinstein se gabava para intimidar quem ameaçava denunciá-lo) e com os media (que Weinstein utilizava para abafar suspeitas sobre o seu comportamento).

O jornal revela ainda que antes de publicar o primeiro artigo que expôs as acusações de abuso sexual e que iniciou uma torrente de outras acusações, o próprio Weinstein telefonou aos jornalistas responsáveis pelo artigo. “Alternando entre a lisonja e as ameaças, disse que tinha sempre maneira de saber quem colaborou com a investigação e que tinha forma de a esmagar. ‘Sou um homem com grandes recursos”, avisou, escreve o diário norte-americano.

Weinstein beneficiou ainda de uma rede nos media, que procurou criar para contrariar relatos negativos que pudessem surgir sobre si. A certa altura, por exemplo, contratou A. J. Benza — um antigo colunista da área das celebridades no New York Daily News — para que este lhe desse histórias sobre outros famosos.

O produtor tinha também “laços fortes” ao grupo tabloide American Media (dono de várias publicações, ). O grupo, escreve o jornal, “era conhecido por às vezes ajudar os seus aliados em apuros com uma estratégia conhecida nas redações tabloides como ‘apanhar e matar’ — adquirir direitos exclusivos sobre histórias lesivas e nunca as publicar.

Michael Jackson foi um dos alvos de Harvey Weinstein e seus colaboradores. Notícias falsas de abuso sexual foram publicadas pela The National Enquirer e Radar Online para ocultar casos de estupro de Harvey Weinstein.

Na lista de casos para encobrir histórias de estupro de Harvey, o coreógrafo Wade Robson que foi testemunha de Michael em 2005 surgiu repentinamente na mídia alegando uma nova acusação de abuso sexual, e a publicação maliciosa do RadarOnline afirmou ter obtido documentos que comprovavam que Jackson guardava material pornográfico infantil em Neverland, nada foi comprovado até descobrir que as fotografias na verdade eram retratos do artista canadense Jonathan Hobin…

Fonte: MJ Beats

BOTDF2017: Dançarinos do Cirque du Soleil homenageiam Michael Jackson em clipe


Todos os anos no aniversário do Rei do Pop, o elenco de Michael Jackson ONE by Cirque du Soleil​ cria uma apresentação especial e única como parte das festividades. Em 2017, acompanhando o lançamento do álbum SCREAM e celebrando 20 anos desde o seu lançamento a música Blood on the Dance Floor​ foi a eleita

Os dançarinos do espetáculo residente Michael Jackson ONE by Cirque du Soleil de Las Vegas se juntaram em homenagem à Michael Jackson. Acompanhe:



Fonte: MJ Beats

Lip Sync Battle terá homenagem a Michael Jackson



O Lip Sync Battle já rendeu ótimos quadros desde sua estreia, mas ainda faltava uma homenagem a alguém em especial.

Competindo para ver quem faz a melhor dublagem musical, o programa terá Michael Jackson na trilha sonora que incluirá uma apresentação do elenco do espetáculo Michael Jackson ONE, o show do Cirque du Soleil em residência permanente no teatro Mandalay Bay, Las Vegas.

Lip Sync Battle Live: A Michael Jackson Celebration será exibido pela Paramount Network em 18 de janeiro de 2018.


Fonte: MJ Beats

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Um lugar para Michael Jackson


O Espólio de Michael Jackson fez registro da marca “Neverland Ranch” para uma série de serviços de entretenimento, incluindo um museu!

Executivos da Triumph International, empresa que administra bens imóveis de Michael Jackson, apresentaram um pedido junto ao Escritório de Patentes e Marcas dos EUA em 30 de outubro a marca “Neverland Ranch”.

Eles listaram uma série de serviços de entretenimento com os quais pretendem usar a marca registrada incluindo a “operação de museu, vídeos musicais, clipes de filmes, fotografias e outros materiais multimídia de Michael Jackson’’

Uma fonte próxima ao Espólio disse à The Blast que o projeto de um museu está em discussão a muito tempo e eles agora estão começando o processo de formalizar um nome antes de avançar com quaisquer planos.

Outros serviços listados para a Neverland Ranch incluem o ‘‘envolvimento continuo com séries e programas de TV, publicação de revistas, serviços educacionais, como aulas e oficinas, e instalações recreativas, como exposições de arte e escolas de dança’’.

Um lugar oficial para Michael Jackson está começando a se tornar realidade! Aguardemos por novidades!

Fonte: MJ Beats
Colaboradores: Music-News/Newsdesk

Sobrinho de Michael Jackson prestes a ganhar guarda definitiva de Bigi Jackson



Katherine Jackson solicitou a entrega legal da tutela de seu neto de 15 anos, Prince Michael Jackson II, mais conhecido pelo apelido de Bigi (Blanket Jackson, pelos fãs). A mãe de Michael Jackson, agora com 87 anos, está abdicando da guarda do filho mais novo de Michael Jackson.

Documentos judiciais adquiridos pelo TMZ, mostram que Katherine quer fazer de TJ, seu neto de 39 anos, o único guardião de seu primo Bigi. Nos documentos, ela faz referência à sua idade como motivo para a mudança. Ela também afirma que, os dois dos filhos de Jackson, Prince e Paris já são adultos, TJ teria capacidade para lidar sozinho com o trabalho de cuidar de Bigi.

TJ estaria já compartilhando os deveres de supervisão com sua esposa Frances, fazendo turnos para cuidar do primo na Mansão da família Jackson, em Calabasas.

Fonte: MJ Beats

Boneco retrata Michael Jackson como ‘‘super-heroi’’


Você já imaginou como seria se Michael Jackson fosse retratado como um super herói de ação? O designer gráfico de quadrinhos Miguel Wilson, fã do Rei do Pop tornou muito essa inusitada ideia em realidade.

Durante a à Comic-Con, uma convenção anual para fãs de histórias em quadrinhos e de ficção científica Miguel exibiu o esboço do seu projeto em 2D e pela imagem do chamado ‘‘Rad Retro Power’’ — e muito em breve espera fabricar peças limitadas do boneco, mas lembrando que a figura ‘‘Rad Retro Power’’ não é um lançamento oficial autorizado pelo Espólio de Michael Jackson.

Fonte: MJ Beats

Prince Jackson: ‘‘irei honrar o legado do meu pai’’


Prince Jackson falou sobre honrar o legado de Michael Jackson através de sua fundação de caridade durante recente entrevista ao programa Today.

Prince, de 20 anos, fundou a Heal Los Angeles, uma instituição de caridade para melhorar a vida das crianças abusadas e dos sem-teto. Dedicada ao seu pai Michael Jackson e à sua Fundação Heal the World.

“Eu acho que ele definitivamente ficaria orgulhoso do tipo de trabalho que estamos fazendo e devolvemos à comunidade”, disse Prince a repórter Natalie Morales na casa da família Jackson em Encino, Califórnia.

O filho mais velho de Rei do Pop realizou o segundo evento anual “Fantasias para uma Causa” no domingo para beneficiar a fundação, Prince e seus irmãos, Paris, 19 e Blanket, 15, juntaram-se à diversão. Blanket, que mudou seu nome para Bigi e ajudou a projetar uma casa assombrada e um labirinto para o evento.

“Eu acho que é assim que meu pai criou eu e meus irmãos”, ele disse.

Mas no que diz respeito à herança da voz ou movimentos lendários de dança lendário do pai, Prince admite: “Eu não sei dançar”. “É muito triste, é muito triste. Eu não consegui essa gene.’’

Enquanto o mundo se deslumbrava com a música de Jackson durante os dias de “Thriller” e “Bad”, seus filhos não tinham nenhuma ideia real sobre quem ele era diante do palco.

“Ele realmente não gostava que nós assistisse seu trabalho”, disse Prince. “Nós realmente não sabíamos quem ele era. Quando vimos um vídeo dele se apresentando, meninas desmaiado, e era uma loucura’’.



Fonte: MJ Beats

Macaulay Culkin: Michael Jackson era meu amigo! Ele NÃO era um pedófilo!


Em julho de 2017, Culkin concedeu uma entrevista para o The Guardian onde discutiu sobre seu uso de drogas e sua relação com Michael.

O entrevistador quis perguntar a respeito da relação com o cantor, porém Culkin, acompanhado de seus assessores, foi interrompido por um deles antes que pudesse responder.

“Podemos prosseguir?”, disse o assessor. Culkin só teve tempo de dizer “não é que seja um assunto doloroso…” porém seu assessor insiste que deixe o tópico de lado, cortando a resposta de Culkin e prosseguindo com a entrevista.

Essa interrupção em meio a resposta do ator acabou permitindo que toda a imprensa sensacionalista replicassem a matéria, porém com palavras que nunca foram ditas por Macaulay, e com conotações extremamente maldosas e opinativas dos “jornalistas.” Criou-se então a notícia destaque ‘‘Macaulay Culkin confirma que foi abusado por Michael Jackson’’ — e mais uma vez, a noticia falsa tornou-se fato consumado.

Dando um basta a todas as especulações envolvendo seu nome e de Michael, Macaulay Culkin disse para seu seguidores do Twitter a mensagem definitiva:

‘‘Pessoas estúpidas. Michael Jackson era meu amigo! Ele NÃO era um pedófilo!!! E seu nome é JACKSON!!! NÃO Jacko!!! Se lembrem disso, mentes doentes!!’’

Fonte: MJ Beats

Michael Jackson esnobado pelo Grammy


A Academia de Gravação irá celebrar os 60 anos dos Prêmios GRAMMY, completados no ano que vem, com um especial de TV que irá apresentar uma retrospectiva dos momentos mais marcantes da maior celebração da música mundial.
O vídeo que apresenta ‘‘os pioneiros mais influentes da música’’ fez questão de esquecer do maior artista de todos os tempos e seus feitos na premiação.

Desde 1980, Michael Jackson recebeu 35 indicações ao Grammy Awards, das quais venceu 13; somente no ano de 1984, o Rei do Pop recebeu 8 prêmios Grammy, estabelecendo um recorde na história da premiação.

Como eles puderam esquecer esse feito?

Fãs devem se lembrar que Michael Jackson foi completamente ignorado quando o maravilhoso Off The Wall, um salto de frescor em tudo que a música estava vivendo, foi boicotado na edição de 1980. O fenômeno Thriller que simplesmente vendeu como água, foi impossível de esquecer (eles se sentiram ‘‘obrigados’’ a nomear um artista negro com o Álbum do Ano).

Bad, disco seguinte a Thriller e que é replicado a exaustão como inspiração pelos cantores de R&B atuais, não ganhou sequer um gramofone em categorias vocais. Na época, Jackson até disse que eles julgavam “sua aparência, não sua música”.

Michael foi continuamente indicado e esnobado, escrutinado pela mídia e pela crítica, até sua passagem. O Rei do Pop, fonte de inspiração onde TODO ARTISTA bebe da fonte, não teve tratamento diferente de nenhum outro artista negro. Ganhou por vender feito água e dar lucros imensuráveis para esse indústria majoritariamente branca e conservadora.

Fonte: MJ Beats