quinta-feira, 21 de setembro de 2017

SCREAM: Tudo sobre o novo álbum de Michael Jackson


Na madrugada desta terça-feira (06), foi anunciado “Scream”, o novo álbum póstumo de Michael Jackson, através de sua página no Facebook.

“Scream” chegará aos serviços de streaming no dia 29 de setembro. A versão física, em CD e LP, serão lançadas apenas em outubro, no dia 27.

“A escolha pelas trilhas de SCREAM reflete a afeição do Rei do Pop por essa época do ano, com seus temas de fantasias e disfarces, trevas e luz, transformações de personagens e surpresas”, disse um comunicado da gravadora para a imprensa.

Confira a tracklist:

1. “This Place Hotel”
2. “Thriller”
3. “Blood On The Dance Floor”
4. “Somebody’s Watching Me”
5. “Dirty Diana”
6. “Torture”
7. “Leave Me Alone”
8. “Scream”
9. “Dangerous”
10. “Unbreakable”
11. “Xscape”
12. “Threatened”
13. “Ghosts”
14. Faixa bônus: “Blood On The Dance Floor” x “Dangerous” (Mash-Up do White Panda)

Curiosidades

A versão física, em CD e LP (terá efeito fosforescentes — aquele que brilha no escuro após ficar exposto a luz)

Celebrações oficiais do álbum ‘‘SCREAM’’ ocorrerão em seis grandes cidades ao redor do mundo: Paris, Londres, Sydney, Berlim, Los Angeles e Tóquio. O Espólio de Michael Jackson fechou parceria com a rede de cinemas Event Cinemas. Os eventos incluirão exibições de sete curtas-metragens do álbum, incluindo o média-metragem ‘‘Ghosts’’ de Michael Jackson, raramente visto após a exibição inicial no Festival de Cannes de 1997.

Mesmo se tratando de uma coletânea sem canções inéditas, ‘‘Scream’’ o novo álbum de Michael Jackson a ser lançado as vésperas do Halloween está desbancando em venda na França. A versão vinil está aberta em pré-venda no site da Amazon, e é número 1 no segmento.

“Blood on the Dance Floor x Dangerous”, o single divulgação de “Scream”, foi produzido pela aclamada dupla de remixes The White Panda.

O dia 29 de setembro está cheio de lançamentos batalhando pelo primeiro lugar: Miley Cyrus, Demi Lovato, Jennifer Lopez e Shania Twain estarão com álbuns novos.

Além do formato digital, a nova compilação de remixes chega ao mercado no dia 29 de setembro também em CD. A versão em vinil duplo, que brilha no escuro, será lançado no dia 27 de outubro. O pôster exclusivo que acompanhará os formatos físicos e a capa trazem a primeira experiência de RA (Realidade Aumentada) já criada par aum projeto de Michael Jackson.


Markenting 








 A divulgação do novo lançamento de Michael Jackson continua, depois de Munique, um grande anuncio chama atenção no edifício MODI, localizado em Shibuya, Tokyo. 

















   SCREAM, o novo álbum póstumo de Michael Jackson terá várias celebrações em torno de seu lançamento que acontecerão em seis grandes cidades ao redor do mundo como Paris, Londres, Sidney, Berlim, Los Angeles e Tóquio e o Espólio de Michael Jackson divulga a primeira cidade que receberá o evento com exibição exclusiva do média-metragem ‘‘Ghosts’’:

‘‘Temos notícias muito especiais para você. Como muitos já ouviram, O Espólio de Michael Jackson e Sony Music promoverá eventos em cidades selecionadas em todo o mundo para celebrar o lançamento do SCREAM. A primeira dessas festas será em Londres em 26 de setembro.’’

Espólio

Espólio de Michael Jackson responde a negativa dos fãs sobre o álbum ‘‘SCREAM’’
‘‘O objetivo do Espólio é proteger e levar o legado de Michael Jackson, o Rei do Pop para as gerações futuras’’.

“Embora apreciemos ouvir as opiniões dos fãs, é importante lembrar que os executores do Espólio n foram nomeados por Michael para lidar com seu legado e fazer o que fizeram, com base em seus anos de experiência e sucesso na indústria fonográfica acredita que é no melhor interesse de Michael e seus herdeiros, seus filhos. Michael confiou aos executores a obrigação de tomar decisões sobre o que deveria (e não deveria) ser publicado e quando.

Desculpe pelo desapontamento, mas o objetivo do Espólio é proteger e levar o legado Michael Jackson, o Rei do Pop para as gerações futuras, e ele está empregando a estratégia que acredita ser a melhor para esse propósito. Às vezes, isso inclui a publicação de músicas em novas compilações que podem alcançar novos fãs, mesmo que isso não seja o desejo de ‘‘fãs fervorosos’’

O Espólio publicou uma incrível edição para celebrar o Bad que incluía demonstrações cuja existência não era mesmo conhecida pelos fãs mais fanáticos, além de um concerto ao vivo que havia sido reivindicado há muito tempo, publicaram dois álbuns de músicas novas, dois novos documentários, criou dois shows ao vivo com o Cirque du Soleil, publicou um filme e uma compilação que o acompanhou e tudo isso em apenas 8 anos!

Todo esse trabalho foi projetado para agradar a base de fãs de Michael Jackson e adicionar novos membros à família. Pare de pensar por um momento sobre todo o trabalho que estas pessoas fizeram em um tempo relativamente curto.

Tão decepcionado quanto você, Michael não está mais aqui para criar novas canções, o Espólio é responsável por decidir o que publicar.’’



Fonte: MJ Beats
Colaboração: MJ Online Team




Michael Jackson retorna em animação para o Halloween


Michael Jackson terá animação de Dia das Bruxas na rede de TV norte-americana CBS. Chamado de Michael Jackson’s Halloween, o especial contará com dublagem em inglês por Jim Parsons (The Big Bang Theory), Lucas Till (MacGyver), George Eads (MacGyver), Alan Cumming (The Good Wife), Christine Baranski (The Good Fight), Lucy Liu (Elementary), Brad Garrett (Fargo) e Kiersey Clemons (Liga da Justiça).

A trama acompanha Vincent (Till) e Victora (Clemons), uma dupla que se conhece no Dia das Bruxas. Ao lado do cão Ichabod, eles se encontram no misterioso hotel This Place, localizado na Rua Jackson 777.

Além da referência, toda a trilha sonora será feita com músicas do novo álbum póstumo do Rei do Pop ‘‘SCREAM’’, com direito a uma versão animada do mesmo em um número de dança.

A data definida para a estreia de Michael Jackson’s Halloween será divulgada nas próximas semanas e existem acordos com emissoras locais em outros países para a exibição de Michael Jackson’s Halloween.

Fonte: MJ Beats

Tributo ao Michael Jackson é sucesso no Rock in Rio, com direito a BIS


A organização do evento constatou que, no dia 17, depois do show de Justin Timberlake e Alicia Keys, o show do artista-tributo Rodrigo Teaser foi o mais comentado, passando artistas que estiveram nos palcos mais importantes como o Sunset e o Mundo (Maria Rita e Frejat, respectivamente) e inúmeros YouTubers — e seus milhões de seguidores.

O novo show de Rodrigo Teaser no Rock in Rio deve encerrar as atividades do Palco Digital neste domingo (24/09), no horário a ser definido pela organização (mas bem próximo das 17h).

Fonte: MJ Beats

Colecionador descobre versão de inédita do game ‘‘Michael Jackson’s Moonwalker’’



Michael Jackson e a SEGA têm uma história de colaboração bem interessante. Além do Rei do Pop ter participado ativamente da trilha sonora de Sonic 3, ele também teve um jogo inteiramente dedicado para si no Mega Drive, chamado de Michael Jackson’s Moonwalker, mas você sabia que esse jogo tem uma grande omissão? A música Thriller.

A ideia do jogo é colocar Michael Jackson em fases baseadas nas principais músicas dele, com a música em questão tocando no fundo, mas na fase do Cemitério, claramente inspirada no clipe de Thriller, a música que toca é Another Part of Me. O curioso é que até os passos de dança de Thriller foram incluídos nessa fase, então todo mundo ficou perguntando: o que diabos aconteceu pra terem tirado a música da fase? Será que haveria ainda uma versão do jogo com ela disponível? E a resposta é: sim, e ela é rara pra caramba.

Recentemente, um usuário do Reddit encontrou uma versão do jogo exclusiva da SEGA numa venda de garagem, e comprou ela por apenas 20 dólares. Quando ele postou sobre essa versão na rede social, os usuários duvidaram, mas então ele postou a seguinte foto:


Como é possível ver, temos aqui um cartucho de pré-produção do jogo, de 24 de abril de 1990, antes do lançamento do jogo, que chegou às prateleiras em 24 de agosto de 1990.

Esta versão EPROM havia sido mencionada no mesmo fórum há dois anos, dizendo que havia rumores da existência de uma cópia do game (a REV00) que incluía a música, mas que era extremamente difícil de encontrar. Uma outra postagem, desta vez no GameFAQs, há 7 anos, também mencionava a existência desta versão e da REV01, a qual possui trechos de Thriller nas fases 3–1, 3–2, 3–3 e 5–3 que são ativados pressionando e segurando o botão “A”.

O usuário em questão aproveitou que colocou as mãos nesse artigo raríssimo e gravou o seguinte vídeo, que mostra a fase do cemitério com a música em questão tocando:



Tudo o que resta agora é que o cartucho em questão seja dumpado e que a rom dele seja postada online, para que o mundo todo possa aproveitar essa versão, e eu não duvido que daqui a algum tempo alguém lance um romhack de Michael Jackson’s Moonwalker com a versão final do jogo contendo a música Thriller na fase do cemitério.


Fonte: MJ Beats

Thriller 3D: Estréia, sucesso e comentários



O Festival Internacional de Cinema de Veneza, mais antigo festival de cinema do mundo e um dos mais importantes do circuito europeu, chega a sua 74ª edição neste ano. Os trabalhos na última quarta-feira (30) com um desfile de estrelas do cinema e diretores consagrados.

Nesse domingo (3/9), o juri do Festival de Veneza que conta como presidente a atriz quatro vezes indicadas ao Oscar e duas vezes vencedora do Globo de Ouro Annette Bening acompanhou a exibição do curta-metragem ‘‘Michael Jackson’s Thriller 3D’’.

Criado a partir de 35mm negativo original dos arquivos da Optimum Productions (produtora de vídeos de Michael Jackson), a versão em três dimensões do icônico curta-metragem do Rei do Pop criou uma experiência audiovisual única. Acompanhado de Thriller 3D, a versão remasterizada do documentário “Making of Michael Jackson’s Thriller”, que foi disponibilizado em VHS em 1983 e está fora de circulação desde 1990 também foi exibida.

Estréia

Na primeira sessão, para os jornalistas, o clima era antes de algazarra. Quando, na tela, o Michael tridimensional dava sustos em sua namorada (a atriz Ola Ray), os repórteres reagiam junto, descontraidamente e com muitos aplausos e gritos de “u-hu”; foi sem dúvida a sessão com reações mais empolgadas até agora no festival.

“Thriller’ é algo de que eu tenho é um enorme orgulho”, disse o diretor do videoclipe, John Landis, em conversa com a imprensa. “Eu e Michael queríamos que o filme fosse apresentado no cinema. Na verdade, foi isso que me interessou ao ser convertido para o 3D: assim teria a chance de levar o filme ao cinema mais uma vez”. “Thriller” foi lançado em sala de cinema nos EUA, em 1983, e se tornou um dos grandes eventos de público de massa do começo daquela década. Michael, que já era um astro conhecidíssimo em carreira solo (após anos de um êxito também estrondoso no grupo The Jackson 5) e ali se consolidou de vez como o rei do pop.

O videoclipe foi um grande marco do formato. A historinha de 14 minutos traz Michael no cinema vendo um filme de terror com a namorada — ele próprio se transfigura em morto-vivo e, pouco depois, faz uma icônica dança com zumbis no cemitério. O ponto alto é a famosa gargalhada final, que fazia medo e fascínio a toda uma geração que foi criança na década de 1980. Landis ficou satisfeito com a passagem para o 3D. “Durante o processo de conversão, pensei: ‘Uau, é incrível!’. Foi trabalho de quadro a quadro. Acho que a dança melhorou muito com o 3D. Meu único desapontamento é que Michael não pôde ver o resultado.”

Mesmo que não ajude muito em tornar o clipe mais assustador, a aplicação da tecnologia 3D ao vídeo torna a imersão na fantasia de horror algo mais divertido. A tridimensionalidade de “Thriller” não tem nada de revolucionária — às vezes, praticamente se limita a tornar as imagens do fundo um pouco embaçadas, de forma que o que está à frente ganhe destaque. Mas quando Michael dança com os zumbis, o efeito 3D se torna mais efetivo, tornando a energia da versão bidimensional ainda maior.
Landis relembrou a gênese do projeto. A ideia do videoclipe surgiu quando Michael assistia ao filme “Um Lobisomem Americano em Londres” (1981), de John Landis, e queria algo parecido no vídeo. Ele próprio convidou Landis e, após conversas, surgiu o conceito e projeto. “O clipe é o produto de uma vaidade: Michael o fez porque queria se transformar em um monstro”. Na época, Michael tinha 24 anos. “Eu jurava que ele tinha 18. Tínhamos uma ótima relação [no set]. Ele era uma pessoa muito determinada a fazer sempre o melhor. Michael era uma criança, mas não era infantil. Não teve infância, a perseguia quando adulto”, diz o diretor.

“No nosso primeiro encontro, ele ficava me perguntando como eu tinha feito uma cena ou outra. Mostrei imagens de diversos filmes de terror — e ali percebi que, na realidade, ele nem tinha assistido a tantos assim em sua vida”. Landis voltaria a trabalhar com Michael em 1991, no clipe “Black or White”, que se tornaria outro marco. “Tive um desacordo financeiro com Jackson [em relação a ‘Thriller’]. Quando ele me convidou para dirigir ‘Black or White’, eu disse: ‘Mas Michael, eu estou processando vocês!’. Mas houve um acordo”.
Segundo Landis, no entanto, o Michael de “Black or White” visivelmente era outra pessoa. “Quando trabalhamos juntos pela primeira vez, Michael estava no ápice, era uma alegria. Ali, ele veio a mim, era meu. Mas em ‘Black or White’, era eu que trabalhava para ele”, distingue o diretor. “Foi diferente. Nós nos dávamos bem, mas ele estava uma pessoa mais reservada. Eu não o invejava ali”.
Na conversa, Landis contou algumas lembranças saborosas de momentos com Jackson. “Vou dizer a única vez que realmente tive medo na vida: foi quando fomos à Disney, logo depois de ‘Thriller’. Michael queria tirar uma foto ao lado de Mickey”, disse Landis. “De repente, estávamos ali [para a foto] e, ao nosso redor, já havia milhares de pessoas, que gritavam, choravam, desmaiavam. Pensei que iam devorar a gente. O Mickey viu aquilo e disse ‘Meu Deus!’ [imita a voz do ratinho]. Mas Michael sorria e acenava calmamente”, relembrou Landis. “O que eu pergunto é: como se pode viver assim?”.

Landis disse que se lembra bem de quando soube da morte de Jackson. “Eu estava indo para o aeroporto para uma viagem a Londres. De repente, começaram a surgir carros de veículos da imprensa na porta de casa. No caminho para o aeroporto, uma até me seguiu. Não entendi mas aí meu motorista avisou: ‘Michael Jackson morreu’. Acho que foi uma tragédia para a família, os amigos, o mundo. Porque é raro que surjam pessoas realmente talentosas, e ele era uma.”

O documentário “Making of Michael Jackson’s Thriller”, exibido após o videoclipe, complementa essa imagem do Michael talentoso e mais “normal” que a figura estranha que ele foi no fim da vida. Há várias cenas de bastidores, de instantes felizes, com Landis carregando Michael no colo, ensaios para danças e trechos com entrevistas em que Jackson se mostra uma pessoa bastante tímida e frágil. “O mais importante: ali temos uma imagem de um Jackson alegre”, diz Landis.

Relatos

A jornalista e publicitária Janaína Pereira teve a oportunidade de acompanhar a versão em três dimensões do icônico curta-metragem Thriller:

‘‘Sessão especial para ver Thriller, o emblemático clip de Michael Jackson, em versão 3D. E depois teve making of do clip. Imagina um grupo de jornalistas cantando, sacudindo na cadeira e balançando a cabeça? Efeito MJ, eterno divo, um cara muito a frente do seu tempo, que soube como poucos fazer do clip musical um curta-metragem. Não é à toa que Veneza volta e meia faz alguma homenagem a ele. Afinal, Michael Jackson é mesmo cinematográfico!’’


Rado Folta

‘‘A apresentação da versão digitalmente renovada do icônico vídeo musical de Michael Jackson, dirigido por John Landis é um dos eventos mais importantes do festival de Veneza deste ano. Valeu a pena esperar, porque ver o vídeo de quinze minutos na tela grande foi um verdadeiro prazer.
Uma imagem cristalina adicionam magia a esta produção. Os efeitos 3D introduzidos infelizmente não têm a força dos efeitos de hoje, com o uso de câmeras especiais e eles parecem bastante médios. Por outro lado, os efeitos visuais, além da máscara bastante lobisomem, que Michael transforma no início do clipe, são excelentes. Os zumbis que saem das sepulturas parecem aqueles da série de The Walking Dead.

O vídeo Thriller ainda é o mesmo, não há cenas inéditas mas parece incrível após restauração. Ele é uma versão obrigatória para os devotos da estrela pop e dos amantes da música dos anos 80.’’


Críticos 

‘‘Ontem à noite, na Sala Perla, dentro do Palácio dos Casinos, tivemos o privilégio de participar de um dos eventos especiais fora da competição que esta 74ª edição do Festival de Cinema de Veneza disponibilizou para o público, uma versão do vídeo imortalizado por Micheal Jackson, Thriller, agora remasterizado no formato 3D.

Tenho que dizer sobre a alegria e entusiasmo quem me provocou em 14 minutos desses que fizeram a história dos videoclipes musicais.

O efeito 3D é surpreendente e deixa o público diante de um show.

Após o vídeo musical, foi exibido o interessante Making of sobre o videoclipe, em que Jerry Kramer, com frequentes intervenções de Michael Jackson e John Landis, revela o segredo sobre os bastidores dessa obra-prima.’’


Fonte: MJ Beats
Colaborações: Bruno Ghetti (Colaboração para o UOL, em Veneza (Itália));  Rado Folta‏ (Cinéfilo e fã de Michael Jackson);  Davide Colli (Daruma View)





Disco ‘‘Thriller’’ de Michael Jackson vai ganhar espetáculo sinfônico no Brasil



Há 35 anos chegava às prateleiras das lojas um álbum que mudaria os rumos da indústria fonográfica: “Thriller”, de Michael Jackson. O disco do Rei do Pop se mantém até hoje no topo da lista dos mais vendidos da história, ultrapassando a marca de 110 milhões de cópias. O aniversário do lançamento será celebrado pela Orquestra Petrobras Sinfônica, de forma inédita: esta será a primeira vez que uma orquestra irá apresentar o famoso disco na íntegra. A apresentação será no dia 9 de dezembro, às 20h, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. A venda de ingressos começa na próxima terça-feira (5 de setembro), em parceria com o coletivo Queremos! (queremos.com.br), com entradas a R$65.
Os arranjadores brasileiros Marcelo Caldi, Mateus Freire e Jessé Sadoc assinam a adaptação de sucessos como “Beat It”, “Thriller” e “Billie Jean”, que serão apresentadas pelos 54 músicos, sob regência de Felipe Prazeres.

Este será o segundo concerto da série Álbuns, que em fevereiro esgotou todos os ingressos em 18 minutos e lotou casas de espetáculo pelo país com o projeto Ventura Sinfônico, em homenagem ao disco do Los Hermanos. A iniciativa é uma das ações da Petrobras Sinfônica que buscam popularizar a música clássica e renovar o público do gênero.

Sobre a Orquestra Petrobras Sinfônica:

Aos 45 anos, a Orquestra Petrobras Sinfônica se consolida como uma das mais conceituadas do país e ocupa um lugar de prestígio entre os maiores conjuntos musicais da América Latina. Criada pelo maestro Armando Prazeres, a orquestra conta com uma formação de mais de 80 instrumentistas e tem como Diretor Artístico e Regente Titular o maestro Isaac Karabtchevsky, o mais respeitado regente brasileiro e um nome consagrado no panorama internacional.

Modelo de gestão: A Associação Orquestra Pró Música do Rio de Janeiro, entidade que administra a orquestra, possui uma proposta administrativa inovadora, sendo a única orquestra do país gerida por seus próprios músicos.

Serviço:

Data: 9 de dezembro de 2017 (sábado)
Horário: 20h
Local: Theatro Municipal do Rio de Janeiro — Praça Marechal Floriano s/nº, Centro — Rio de Janeiro
Telefones: (21) 2332–9191 e (21) 2332–9238
Ingressos: R$65, pelo site queremos.com.br
Capacidade: 2236 lugares
Classificação: livre

Fonte: MJ Beats

John Landis fala sobre a criação do curta THRILLER


Já tinha se passado quase um ano do lançamento do álbum Thriller quando o Rei do Pop chamou ao diretor de ‘Um Lobisomem americano em Londres’ para dirigir um vídeo para a sua faixa-título. O resultado ajudou a tornar o que já era grande, no maior de todos.

Era cerca de 2 da manhã e eu estava dormindo, em Londres, a primeira vez que Michael Jackson me ligou. Ele me contou o quanto ele admirava “Um Lobisomem Americano em Londres’ e perguntou se seria possível dirigir um vídeo musical no qual ele poderia “se transformar em um monstro?”.

Expliquei-lhe que Londres estava oito horas à frente de Los Angeles. Eu disse que eu o chamaria quando eu voltasse para LA em algumas semanas. Então eu voltei a dormir.

Falamos ao telefone quatro ou cinco vezes antes de retornar à Califórnia. Michael me disse que queria que eu fizesse um vídeo musical para a música Thriller e que, no vídeo, ele queria passar pela mesma transformação de um homem de duas pernas para uma fera de quatro patas que estava no “Lobisomem Americano em Londres’.

Rick Baker — que ganhou o primeiro Oscar da melhor maquiagem por ‘Um lobisomem Americano em Londres’ — e eu mostramospara Michael livros de filmes cheios de fotografias de monstros. Nós logo descobrimos que ele não tinha visto muitos filmes de terror. Ele achou a maioria das imagens “muito assustador”. Chegamos à conclusão de que, se Michael fosse dançar, seria muito mais fácil para o seu monstro ter duas pernas ao invés de quatro. Fiquei convencido de que, qualquer que fosse que ele se transformaria, não poderia ser muito horrível ou pouco atraente. Assustador — sim; assustador — sim; mas não feio. Eu finalmente sugeri que Michael se transformasse em lobisomem como aquele de 1957 em ‘I Was a Teenage Werewolf’. Por isso a configuração “filme dos anos 50” de Thriller.

Rick acabou por apresentar seu design elegante “WereCat” para o monstro de Michael. Foi a sugestão de Michael que incluímos zumbis.

Eu esperava que Michael iria junto com o meu plano de fazer um “two-reeler” (um curta de cinema) e não apenas um “needle-drop”, vídeo de rock. Ele adorou a ideia de fazer de THRILLER um verdadeiro evento de cinema que poderia ser exibido em cinemas em todo o mundo. Então, criamos um orçamento que refletia nossa produção ambiciosa, muito maior que qualquer coisa usada antes em um videoclipe . O problema era que a gravadora de Michael não tinha interesse em outro vídeo para o álbum Thriller. O álbum tinha sido o número 1 por mais de um ano e a empresa achava que tinha atingido o pico. Michael me colocou no telefone para o presidente da CBS Records, Walter Yetnikoff, e nunca tinha ouvido tal palavrão em tal volume. Michael perguntou: “O que Walter disse?” Eu disse a ele “Walter disse ‘não’”.

Michael se ofereceu para pagar o próprio filme, mas nós decidimos fazer um making-of de 45 minutos que, adicionado ao tempo de duração de 15 minutos de Thriller, significava que nós tínhamos uma hora de filme que poderíamos vender para a televisão e, assim, financiar nossa produção . Este era um conceito elegante — exceto que nenhuma rede de televisão queria. Para eles, Thriller era a notícia do ano passado. Mesmo a MTV, que teve grande sucesso com ‘Billie Jean’ e ‘Beat It’, os dois primeiros vídeos de Thriller, nos derrubaram. (A MTV nunca teve que pagar por vídeos porque eles eram considerados por empresas de gravação como custos de marketing). Mas o Showtime, então um novo canal a cabo, concordou em pagar metade do orçamento, e a MTV mudou de ideia, justificando a despesa como um “Filme”, ​​não um clipe.

Estávamos prontos para fazer o nosso filme. Falei a minha esposa, Deborah Nadoolman, projetar os figurinos. Ela criou a jaqueta de couro vermelha para Michael usar. Tornou-se tão emblemática como a jaqueta de couro que ela tinha projetado anteriormente para o Indiana Jones. Michael trouxe o coreógrafo Michael Peters, com quem trabalhou em ‘Beat It’; as pessoas ainda estão dançando os movimentos dos dois Michael criados para Thriller.

O making-of — dirigido por Jerry Kramer — documentou exatamente o quanto brilhante artista Michael era, e nós adicionamos o material que poderíamos: um filme caseiro de Michael dançando, que foi encontrado em um armário na casa de seus pais, imagens do ‘Ed Sullivan Show’ e o lendário desempenho de Michael no especial do 25º aniversário da Motown. Assistir o Making of de Thriller agora, depois de três décadas, uma coisa é clara: Michael parece tão feliz.

O êxito de Thriller de Michael Jackson foi uma surpresa para todos, exceto Michael. Minhas memórias dele são naturalmente sombreadas por seu trágico final. Mas lembro-me do Michael, que colaborei em 1983, e que Michael era alegre, trabalhador, relaxado e decidido a fazer o seu melhor. E o melhor de Michael foi realmente fantástico.

A versão restaurada de Thriller e o ‘Making of’ terá sua estréia mundial no Festival Internacional de Cinema de Veneza em 3 de setembro.


Fonte: The Guardian

Paris Jackson arrasa com discurso no VMA 2017


O VMA 2017 começou com Katy Perry “chegando da Lua” e percebendo uma certa felicidade no público apesar da realidade política do EUA (e do planeta!). “Vocês estão felizes, vocês consertaram o mundo enquanto estive fora?”, ironizou.

Na sequência, Paris Jackson foi chamada ao palco para apresentar a premiação de “Melhor Vídeo Pop”. Antes de anunciar os candidatos, a filha do Rei do Pop fez questão de dar um recado político: “Estamos aqui para mostrar para essa supremacia branca de idiotas de Charlottesville ou de qualquer outra região do país que tem a Liberdade como Slogan, que nós não temos tolerância para a violência deles e para a discriminação. Nós temos que resistir”, disse a primogênita de Michael Jackson, ovacionada pela plateia.

Paris estava se referindo aos protestos organizados por um grupo de americanos contra a retirada de estátuas do General Lee, que comandou as tropas sulistas durante a Guerra Civil Americana. A Paris também se destacou pelo visual.


Fonte: MJ Beats

Um livro sobre a Bad Tour no Japão


O lançamento do sétimo álbum de Michael Jackson, Bad, em 31 de agosto de 1987 levou a um aumento absurdo (e inédito) na popularidade de Michael Jackson no Japão, que fez com que Jackson fosse apelidado de “Tufão Michael” pelos japoneses.

A imprensa japonesa só idolatra seus artistas, ao contrário dos tabloides do Reino Unido, onde eles são mais populares e os fãs de lá ganharão um livro especial recordando a histórica passagem do Rei do Pop no Japão com a Bad Tour’’.

O livro discorre em fotos inéditas desde quando o Japan Airlines Flight 61 aterrissou no Aeroporto Internacional de Narita, em Tóquio onde mais de 600 jornalistas, cinegrafistas e milhares de fãs estavam esperavam para recepcionar Michael desde a campanha de marketing, a construção do palco monumental e o show de マイケル・ジャクソン (leia Maikeru Djakuson — Michael Jackson).

Fonte: MJ Beats

Tributo ao Michael Jackson no Rock in Rio


O Rock in Rio é um dos maiores festivais de música do mundo, passando por grandes nomes do cenário nacional e mundial do Rock e Pop, como AC/DC, Queen, Iron Maiden, Guns N’ Roses, Coldplay, Metallica, Beyoncé, Justin Timberlake, Bom Jovi entre outros.

Michael Jackson nunca se apresentou no evento, porém a edição desse ano promete fazer uma grande homenagem ao maior artista de todos os tempos, com um super show comandado pelo artista tributo Rodrigo Teaser.

Dia 17 de setembro, a partir das 15:10hs no palco ‘Digital Stage do Rock In Rio’.

Fonte: MJ Beats

Luva do ‘‘primeiro moonwalk’’ em exposição


Um dos objetos pessoais mais icônicos do Rei do Pop, Michael Jackson foi adquirido em dezembro de 2009 num leilão em Nova Iorque pela joint-venture entre a Sociedade de Jogos de Macau (SJM), de Stanley Ho, e o grupo Success Universe, sediado em Hong Kong, que detém o Hotel Ponte 16, por 350 mil dólares.

Outros nove artigos de Michael foram também arrematados, entre os quais o par de meias com cristais da Swarovski, a jaqueta zumbi de “Thriller”, o terno do filme Men in Black II, o disco de platina RIAA ganho com as vendas do álbum “Bad”, três fotografias, um poster e um desenho de Charlie Chaplin autografados.

Fonte: MJ Beats

Polícia prende suspeito de pendurar fuzil em estátua de Michael Jackson



Um dos suspeitos de terem pendurado um fuzil no pescoço da estátua de Michael Jackson no morro Santa Marta, em Botafogo, na Zona Sul do Rio, foi preso na tarde deste domingo (20) no Rio por policiais da UPP Santa Marta. O suspeito é conhecido como Mateuszinho e foi preso após ser reconhecido durante um patrulhamento.

O caso foi registrado na 10ª DP, e as buscas por outros membros do grupo continuam. Contra Mateuszinho, havia mandado de prisão por tentativa de homicídio contra um policial da UPP, baleado em 26 de dezembro do ano passado.

Fonte: G1