sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Mirroring Michael Jackson: Um novo documentário sobre Michael Jackson


A Kalliope Films apresentou no European Film Market (EFM) em Berlim “Mirroring Michael Jackson”, o novo documentário que vai abordar a vida de Michael Jackson através de artistas tributos.

O filme inclui aparições de Alex Al, baixista de Michael Jackson por uma década, e que compôs e produziu a música do documentário com Pete Merriweather.

“Nós somos grandes fãs de Michael Jackson e estamos honrados de que Kira (o produtor) confie em nós para esta incrível carta de amor ao Rei do Pop”, disse o presidente da Kalliope Films, Clay Epstein, ‘‘o filme em si é um tributo, em memória de Michael Jackson, sendo ele o homenageando”, completou.

Fonte: MJ Beats
Colaboradores: Jeremy Kay/Screen Daily.com

Espólio de Michael Jackson fecha parceria com a Quidd


A Quidd (quidd.co), anunciou recentemente uma parceria com o Espólio para o lançamento de adesivos, GIFS e cartões comerciais de Michael Jackson para usuários iOS e Android. Os adesivos e cartões digitais apresentam uma gama de poses icônicas do Rei do Pop.

Com o novo conteúdo lançado, os fãs do Michael Jackson terão adesivos e cartões para colecionar, trocar com os usuários do aplicativo considerado como um dos melhores da App Store.

Fonte: MJ Beats

‘‘Thriller’’ de Michael Jackson emperra novela da Globo


A dificuldade para obter os direitos de exibição de videoclipes originais de músicas dos anos 1980 obrigou a Globo a adiar a produção de sua próxima novela das sete, Verão 90 Graus, que tinha estreia prevista para julho. No lugar da história sobre ex-astros mirins decadentes, a emissora escalou O Tempo Não Para, de Mário Teixeira, sobre uma família do século 19 que descongela nos dias de hoje.

Escrita por Paula Amaral e Izabel de Oliveira, Verão 90 Graus terá duas fases, uma nos anos 1980 e a outra, maior, no início da década seguinte. Além da complexidade de produção envolvendo direção de arte (figurino, cenografia e carros da época), a comédia terá uma emissora de TV especializada em videoclipes.

Essa MTV da ficção mostrará videoclipes originais dos anos 1980 e início dos anos 1990. Personagens da novela irão interagir com a emissora e contracenar enquanto videoclipes, por exemplo, rodam em um televisor.

E é aí que reside o maior obstáculo. Além de caros, os videoclipes exigem negociação individual, um a um, com várias partes (músicos, gravadora, editora).

Para complicar ainda mais, a Globo precisa dos direitos mundiais, porque irá inserir os clipes em uma obra de ficção que também visa o mercado internacional. Nem todos os agentes dessa negociação compreendem a relevância e o potencial econômico de uma novela brasileira.

E a lista de videoclipes não é pequena. Há desde bandas brasileiras que faziam sucesso na época, como Titãs, Legião Urbana, Engenheiros do Hawaii, Paralamas do Sucesso e Barão Vermelho, até grandes estrelas do pop mundial, entre elas Michael Jackson e Madonna, intérpretes de alguns dos clipes mais importantes de todos os tempos _há quem defenda que Thriller, do primeiro, é o maior deles.

Direitos autorais de músicas são caros. Foi o componente musical que tornou The Get Down a série mais cara da Netflix. A produção, sobre a origem do hip-hop na Nova York dos anos 1970, teve apenas 11 episódios, que custaram US$ 192 milhões.

Como a negociação dos direitos dos videoclipes de Verão 90 Graus segue lenta, a Globo optou por adiar a novela para o início de 2019. A novela segue em produção, mas como deixou de ser prioridade, pode perder peças de seu elenco.

Fonte: MJ Beats
Colaboradores: Daniel Castro/Notícias da TV

Michael Jackson em novo comercial da Pepsi para o Super Bowl


Patrocinadora do show do intervalo do Super Bowl, o Pepsi Super Bowl Halftime Show, a Pepsi preparou uma volta no tempo em seu comercial para este ano. A gigante do mercado de refrigerantes recriou o seu icônico comercial do Super Bowl 1992, quando Cindy Crawford figurou saindo de uma Lamborghini para pegar uma lata da marca, tudo sob os olhares de dois meninos.

O anúncio “This Is the Pepsi” faz parte da campanha “Pepsi Generation“, que homenageia os 120 anos de história da cultura pop na empresa. O comercial também trouxe imagens de Michael Jackson. Acompanhe:


Fonte: MJ Beats


Quincy Jones: ‘‘Quero fazer um musical de Michael Jackson na Broadway


A revista GQ publicou uma extensa entrevista com o Quincy Jones, aqui, trecho que o produtor fala sobre Michael Jackson. Acompanhe:

“Eles querem que nós cuidemos do Espólio (de Tupac), meu filho e eu. Há três ou quatro propriedades que querem que nós cuidemos deles, de fato, os Jacksons estão vieram até nós, mesmo depois do processo que tivemos. Jermaine estava aqui na semana passada com seu filho de 21 anos, e eu quero fazer um musical da Broadway sobre Michael com ele, com Julie Taymor que dirigiu O Rei Leão.

Você conheceu Michael quando ele tinha 12 anos, certo?

Sim, com 12. Aretha (Franklin) e Stevie (Wonder) também. É interessante, não é? Você tem talento aos 12 e conhece o caminho que você vai tomar.

O que você imaginou que Michael seria grande?

Eu tinha uma visão na perspectiva dos detalhes. Seus ídolos eram Fred Astaire, Gene Kelly, James Brown. E ele prestou atenção, e é isso que você precisa fazer. É a única maneira de ser ótimo, você sabe, preste atenção aos caras que eram os melhores.

Fonte: MJ Beats
Colaboradores: Chris Heath/QG

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Pepsi terá Cindy Crawford e Michael Jackson para recriar comercial do Super Bowl


Patrocinadora do show do intervalo do Super Bowl, o Pepsi Super Bowl Halftime Show, a Pepsi prepara uma volta no tempo em seu comercial para este ano. A gigante do mercado de refrigerantes irá recriar o seu icônico comercial do Super Bowl 1992, quando Cindy Crawford figurou saindo de uma Lamborghini para pegar uma lata da marca, tudo sob os olhares de dois meninos. Segundo a modelo, a aparição na partida foi um divisor de águas em sua carreira. Desta vez, Crawford terá a companhia do seu filho, Presley Gerber.

O anúncio “This Is the Pepsi” faz parte da campanha “Pepsi Generation“, que homenageia os 120 anos de história da cultura pop na empresa. O comercial trará também imagens de Michael Jackson, que também já estrelou comerciais de muito sucesso pela marca.

Fonte: MJ Beats

Macaulay Culkin: Michael Jackson era meu amigo


O ator Macaulay Culkin falou recentemente em uma nova entrevista com Marc Maron sobre a sua amizade com o Rei do Pop Michael Jackson.

“Ele foi meu melhor amigo enquanto eu crescia, por uma boa parte da minha vida. Ele gostava da minha juventude, gostava de ser uma criança comigo. Isso nunca me pareceu estranho, tampouco me senti desconfortável. Ele era assim” disse, detalhando como ele conheceu Michael nos bastidores de The Nutcracker (O Quebra-Nozes e o Príncipe) no Lincoln Center. Michael Jackson estava com o então presidente dos Estados Unidos Donald Trump naquele dia.

Maron perguntou a Culkin sobre o comportamento de Jackson e, embora Culkin admitiu que Jackson era “emocionalmente jovem”, ele o chamou de uma pessoa muito inocente.

Ele também relatou algumas das preocupações de Jackson em seus últimos anos. “Ele não queria ir para casa, ele sentiu que tinham contaminado tudo o que tinha na vida dele, foi o que aconteceu com o último julgamento, tudo parecia ter sido corrompido, o único que importava era sua família”.

Culkin é que é padrinho de Paris Jackson. “Paris e eu somos íntimos, tenho que avisá-lo que estou protegendo ela, então tenha cuidado”.

Fonte: MJ Beats


Lip Sync Battle: A Michael Jackson Celebration é sucesso de audiência


Fazer homenagem para estrelas da música não parece ser uma má ideia, mas o programa Lip Sync Battle Live levou esse conceito para um outro nível.

De acordo com as informações divulgadas pelo site especializado TV By the Numbers, o especial Lip Sync Battle: A Michael Jackson Celebration alcançou 1,048 milhões de telespectadores na noite da última quinta-feira (18) nos Estados Unidos, se consolidando como a transmissão não-esportiva com maior audiência da noite!

Fonte: MJ Beats

Disputa sobre o documentário Michael: The Last Photo Shoots.


O espólio de Michael Jackson está um passo mais perto do julgamento em uma disputa sobre o documentário chamado Michael: The Last Photo Shoots. Em 2014, Noval Williams Films processou John Branca e John McClain, os executores do espólio de Jackson, buscando uma declaração de que o documentário não infringe os direitos autorais de fotos e vídeos de MJ.

O juiz distrital dos Estados Unidos, Paul Crotty, negou a moção dos executores para julgamento sumário, bem como a cruzada de Noval para julgamento parcial, achando que existem inúmeras controvérsias factuais no caso — incluindo um sobre quem realmente possui filmagens de Jackson tomadas durante os ensaios para as revistas Vogue e Ebony.

De acordo com a decisão de Crotty, Novel afirma que a filmagem foi inicialmente detida por Hasaun Muhammad, mas posteriormente foi transferida para Craig J. Williams e, em seguida, para Bonaventura Films.

Bonaventura concedeu à Noval uma licença exclusiva para usá-lo. Enquanto isso, o espólio de MJ sustenta que é o dono da filmagem porque Muhammad concordou que não exploraria sem o consentimento de Jackson.

“Desde que Jackson faleceu, a única pessoa viva com informações diretas sobre o espólio é Muhammad”, escreve Crotty. “Mas Muhammad provou ser mais evasivo do que um fantasma.’’

O tribunal descobriu que o espólio não demonstrou suficientemente a sua propriedade sobre os direitos autorais e a Noval não estabeleceu definitivamente que a propriedade não possui os direitos, pelo que a questão deve ser apresentada a um júri. Além disso, Crotty considerou que Noval não provou que o pedido reconvencional da propriedade por violação de direitos autorais está prescindido pelo estatuto de limitações e que o uso do documentário das fotos é protegido pelo uso justo.

Crotty também concedeu uma moção para atacar depoimentos de Muhammad e Michael Williams, achando que os homens são indescritíveis e o tribunal não está convencido de que ambos estarão disponíveis para testemunhar.

Fonte: National Accord Newspaper/ MJ Beats
Pesquisa/Tradução: Cartas para Michael

Tributo a Michael Jackson celebra os 30 anos de Man In The Mirror


Um concerto especial comemorando o 30º aniversário da musica de Michael Jackson, “Man in the Mirror” será transmitido ao vivo no YouTube em 19 de janeiro pelo canal SMTOWN às 1h da manhã de sábado.

Com a participação do maestro e produtor musical Quincy Jones, o show apresentará reinterpretações de “Man in the Mirror” com vários artistas, incluindo a compositora da música, Siedah Garrett e o trio de jazz Myron McKinley.

Michael Jackson lançou “Man in the Mirror” em janeiro de 1988. A faixa tornou-se o quarto single consecutivo do álbum que atingiu as paradas de sucesso da Billboard Hot 100, segurando o número #1 por duas semanas.




Fonte: MJ Beats

Vaza Man In Black: outtake do álbum Dangerous


O produtor e compositor Bryan Loren possuí em seu arquivo canções ainda não lançadas de Michael Jackson.

“Man In Black” é uma das estimadas 20–25 músicas que o Rei do Pop trabalhou com o compositor durante as sessões do álbum Dangerous e seria lançada na coletânea de greatest hits Decade em que posteriormente foi cancelada.

“Man In Black” foi inspirada no hit Rhythm Nation da irmã, Janet Jackson. O trecho vazado não está em qualidade mas pelo que se escuta, é um hino!!


Fonte: MJ Beats



Thriller de Michael Jackson no Top 10 de vendas em vinil de 2017


Mais uma vez, as vendas anuais de álbuns de vinil atingiram outro recorde: foram 14,32 milhões em 2017, um crescimento de 9% em relação ao ano anterior — em 2016, 13,1 milhões de unidades foram vendidas.

O ano de rastreamento da Nielsen Music foi de 30 de dezembro de 2016 até 28 de dezembro de 2017. A Nielsen Music começou a controlar eletronicamente vendas e dados de música em 1991.

2017 marca o 12º ano consecutivo de crescimento nas vendas de álbuns de vinil. O formato continua a aumentar nas vendas a medida que mais álbuns novos e clássicos são prensados. Promoções de varejistas como Amazon, Urban Outfitters e Barnes & Noble, bem como celebrações anuais voltadas para vinil (Record Store Day) ajudam nesse aumento.

As vendas de LP de vinil representaram 8,5% de todas as vendas de álbuns em 2017, contra 6,5% da participação em 2016. Além disso, as vendas de LP foram 14% de todas as vendas físicas de álbuns em 2017 (uma participação recorde dentro do período computado pela Nielsen) acima dos 11% em 2016.

Além disso, as vendas de álbuns de vinil foram conduzidas por uma série de títulos, não apenas um punhado de artistas. No total, 77 títulos diferentes venderam mais de 20.000 cópias em vinil LP em 2017, em comparação com 58 de 2016.

Como de costume, o rock, de longe, impulsiona a maioria das vendas de álbuns de vinil, já que o gênero representou 67% de todas as vendas de vinil em 2017 (contra 69% em 2016).

Os Beatles terminam em 2017 com os dois melhores LPs de vinil vendidos do ano: Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (72.000 — número alimentado em grande parte pela edição de aniversário do álbum em 2017) e Abbey Road (66.000). A trilha sonora Guardians of the Galaxy: Awesome Mix Vol. 1 é o terceiro maior com 62.000.

Veja o ranking de 2017:

The Beatles, Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band — 72.000
The Beatles, Abbey Road — 66.000 
Guardians of the Galaxy: Awesome Mix Vol.1 — 62.000
Ed Sheeran, ÷ — 62.000
Amy Winehouse, Back to Black — 58.000
Prince and the Revolution, Purple Rain — 58.000
Bob Marley and The Wailers, Legend: The Best Of… — 58.000
Pink Floyd, The Dark Side of the Moon — 58.000
 La La Land — 49.000
Michael Jackson, Thriller — 49.000

Fonte: MJ Beats/ Billboard